Você carrega a dor do outro?

Escrito por em 5 de fevereiro de 2019

Muitas vezes nos sensibilizamos pela luta ou pela perda do outro. Em outros casos amamos tanto alguém que, ao ver a pessoa sofrendo, a vontade é pegar aquela dor e transferir para o nosso peito. Em ambos os casos se apropriar das dores de outras pessoas não mudará a dor delas. Fique atento, essa atitude pode te adoecer.

 

Todas as pessoas sofrem em algum momento da vida. O sofrimento às vezes é inevitável e serve, em sua maioria, para nos fazer aprender alguma lição de vida. Mas quando convivemos com alguém que vive sempre em conflito, em sofrimento, com a vida estagnada, isso pode nos sensibilizar. Mesmo que a pessoa se esforce para mudar sua vida e sair deste sofrimento, a nossa reação imediata pode ser a de querer ajudar. Mas o que tem de errado em querer ajudar alguém que está em constante sofrimento? Você pode cair em uma armadilha. Essa pessoa pode acabar se acomodando com a situação e até mesmo achar que é você que tem que resolver os problemas dela. Mesmo que sua intenção seja somente dar um empurrão para a pessoa sair daquela situação, essa atitude pode piorar tudo e inconscientemente você prejudicar ela ao invés de ajudá-la.

Mas então como agir em situações como essa? Dê orientação a ela, apresente-a caminhos alternativos, dê apoio moral e força para esta pessoa mudar e ficar bem. Essa atitudes são diferentes de fazer pela pessoa aquilo que ela mesma precisa fazer. Tem situações da nossa vida que a mudança só depende de nós. Em casos como esse, de dor e sofrimento, por mais que as pessoas que não estão passando por isso deem seu apoio, a solução para curar as feridas internas vem exatamente de dentro de quem sofre. Por isso, o autoconhecimento e a cura fazem parte deste processo.

Carregar a dor do outro pode ser um peso desnecessário, podendo nos atingir mentalmente e fisicamente. Você pode estar obtendo ganhos como: reconhecimento do outro, se sentir amado ou apenas se sentir uma pessoa boa. Mas no fundo você pode estar sendo uma pessoa muito má com você e adoecer, porque a dor do outro não te pertence. Tentar resolvê-la é uma ilusão que trará mais sofrimento, cobrança, insatisfação e tristeza. No final, ninguém fica tão bem quanto parece. Assim, a saúde emocional e mental pode ser minada e criar mal estar na relação. Reflita neste momento o que você está fazendo com a sua vida e com a vida outro, tenha cuidado e respeite suas limitações. Seja bom para o outro mas principalmente para você, não adianta colocar o sofrimento do outro em primeiro lugar e deixar seus próprios sentimentos de lado.  Ainda há tempo para rever suas atitudes. Entenda suas prioridades para depois tentar ajudar quem está a sua volta, respeitando sempre você. Cuidando de você, cuidando das suas dores e emoções você pode ser o exemplo de superação que o outro busca. Seja gentil com você. Se reveja, se reformule. O despertar é agora!

 


Tagged as , , , , , , ,



Comentários

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.Campos obrigatórios estão marcados *