O que você precisa saber sobre a psicoterapia quântica

Escrito por em 21 de março de 2018

Tem algo muito importante que você precisa saber sobre a psicoterapia quântica que eu utilizo. A minha proposta de tratamento é fruto da minha experiência de quase 20 anos de consultório, conhecimentos adquiridos por meio de graduação, mestrado, doutorado e diversas formações convencionais e não convencionais.

Além disso, a minha experiência pessoal de 25 anos fazendo terapia e buscando diversas tipos de cura com profissionais que lidam com o psiquismo e corpo me faz ser uma profissional que investiga e utiliza todos os meios necessários para curar as dores que o paciente me apresenta.

A psicoterapia quântica trabalha memórias celulares, que estão nas células sobre forma de energia. Para este tipo de terapia eu utilizo o Thetahealing, Barras de Access e os Códigos de Cura.

Mas inicialmente eu trabalhava apenas com a técnica do Psicodrama Triádico e com o Método Caixa de Areia. Existe um embasamento científico da psicologia e das demais técnicas em todo o meu trabalho.

Há diversos casos no consultório: tem pacientes que possuem demandas bem específicas que podem ser resolvidas a curto ou a longo prazo (passar em um concurso, mudar de emprego, separar-se de alguém, etc). Outras demandas seriam: depressão, ansiedade, angústia, transtorno de déficit de atenção, síndrome do pânico, obesidade, etc.

Há outros casos que muita gente não entende porque a psicoterapia é de fundamental importância. Significa buscar um processo de autoconhecimento, saber quem você é, o porquê de suas escolhas, curar feridas emocionais que aparentemente não existem, encontrar o equilibrio biopsíquico-emocional, o propósito de vida, desbloquear crenças que te impedem de exercer a sua verdade pessoal, concretizar sonhos e ser pleno(a).

Para esta proposta de autoconhecimento é preciso ter coragem, motivação, paciência e disposição. Tem pacientes que já tem uma boa percepção de si, abertura para o processo de investigação e estão mais prontos para colocar em prática o que conscientizam durante a terapia.

Outra coisa bem importante, aqueles pacientes que tomam responsabilidade pela sua vida, não se colocam como vítimas do outro, conseguem resultados mais rápidos.

Vou fazer uma comparação para explicar outro ponto. Imagina que você é um maratonista, mas você para de correr e depois de 10 anos você quer ter o mesmo desempenho de antes. É possível?

Bem, quando você está em dia com o seu inconsciente e com o seu estoque de emoções, você consegue mais rapidez para tomar decisões e resolver conflitos que aparecem na vida diária. Agora vou explicar o que é estar em dia com o seu inconsciente e com o suas emoções.

Todo mundo tem arquivos profundos dentro de si. Não é necessário descobrir todos eles, caso a pessoa não esteja disposta a promover um processo contínuo de autoconhecimento. Acontece que podemos agir sendo guiados por memórias que não nos servem mais.

Quando pequenos não temos o nosso cognitivo desenvolvido para entender o contexto que estamos vivenciando, entender que o emocional dos nossos pais pode atrapalhar a forma espontânea, criativa, natural de nossas ações e impedir que as nossa necessidades emocionais sejam atendidas.

A decepção, frustração, raiva, medo, angústia podem ficar dentro de nós. Para conseguirmos sobreviver precisamos utilizar mecanismos de sobrevivência. É como se fosse um freio para barrar tais sentimentos. A princípio é esta a solução, mas a longo prazo adoecemos, criamos neuroses diversas, somatizamos a dor no corpo e ficamos insatisfeitos e infelizes.

Voltando ao exemplo do maratonista, vamos supor que você escolha algo na sua vida que é a melhor opção do momento, mas não a ideal. Você se acostuma com essa escolha e nega o que o que você sente. Além disso, fecha seus olhos e vive com diversos subterfúgios: comida em excesso, trabalho demasiado, drogas, consumismo exagerado.

Faça isso por 10 anos. O que você acha que vai acontecer? O seu corpo vai dar sinais e a sua mente não vai suportar racionalizar o que você sente.

Tem muito paciente que chega ao meu consultório assim, precisando de “reparos”. Tem aqueles que nunca foram maratonistas, mas querem resultados imediatos. Claro que a psicoterapia proporciona resultados mais rápidos, por identificar a raiz da questão e por trabalhar as memórias celulares, mas não há milagres. Cada caso tem a sua particularidade. Um grande problema é fazer comparações.

Há pacientes que me falam, vim aqui porque meu amigo mudou muito e está feliz. Quero o mesmo. É possível conseguirmos o mesmo? Sim, mas o tempo disso é relativo. Às vezes, este amigo é um antigo maratonista que agora faz cooper. Já foi o tempo de fazer a maratona, ele já entendeu muita coisa e já transmutou o passado de tal forma que agora um processo de psicoterapia é rápido, fácil e tudo flui.

Tem gente que nem precisa da maratona. Sempre fez o cooper, porque sua vida pessoal teve menos atropelos, sua história é outra. É difícil explicar isso para muita gente. Acham que “compraram” um produto errado, foram enganadas e portanto interrompem a terapia.

Infelizmente, preciso dizer que as situações mal resolvidas vão continuar adoecendo aqueles que se iludem com um terapeuta que vai transforma a vida deles quase que “da água para o vinho”, sem eles se esforçarem e estarem dispostos. Muitos pacientes não validam a mínima mudança que ocorre na terapia, são exigentes com eles e com o terapeuta. São pessoas que precisam escolher um culpado pelas suas dores. Às vezes, nem a doença flexibiliza estas pessoas.

A psicoterapia quântica pode sanar uma doença. Já presenciei muitos casos. Para a cura de uma doença é necessário investigar com cautela e saber interpretar a causa emocional. Dependendo do caso pode ser rápido. É válido destacar algumas variáveis para a cura: a abertura do paciente para a investigação, motivação, os tipos de crenças limitantes, a estrutura psíquica emocional, o contexto social e familiar em que vive, etc.

Portanto, eu concluo que toda a minha experiência me fez criar “atalhos” para a cura entendendo que cada ser humano é único e que todos nós podemos ficar livres de conflitos que nos aflige, mas existem várias condições para isso acontecer.



Continue lendo

Próximo post

A tal pressa


Thumbnail


Cart

View cart