Quanto vale a sua vida?

Escrito por em 3 de outubro de 2018

Pare, respire e pergunte para você qual é o seu valor. Quando você está apropriado (a) do seu valor você consegue estabelecer os limites entre você e o outro e se respeitar nas relações profissionais, conjugais, familiares e sociais. Se você está em sintonia com você, é possível respeitar seu prazer e o que vale para você. Sabemos que é preciso saber conviver, ter empatia, tolerância e enxergar o lado de quem convive com você ou qualquer outro tipo de relação, mesmo que instantânea. Mas é preciso ter firmeza na sua base individual, existe um limite que deve ser delimitado por você mesmo, do que lhe você é capaz de permitir para sentir-se bem consigo e de como deseja ser tratada (o) e respeitada (o).

Estando bem consigo, repeitando seu Ser, você será capaz de ser mais feliz e, ainda, ter mais condições de fazer pelos outros. Mas é preciso entender o valor de sua vida, de si mesmo. Ficou claro? Não? Então responda estas perguntas: Quanto tempo você quer viver? Até agora valeu a pena? Para que você vive? Quais as suas maiores causas? Encare você neste momento, faça uma prece e seja bem sincero (a) com você, se olhe no espelho. O bem mais precioso que você tem está diante de você. Esse bem precioso, que é você mesmo, tem poderes infinitos, sabia? Pode tudo o que desejar e se empenhar com força. Desde que tome consciência disso. 

Como Gerontóloga eu posso dizer que quando você chega na fase da velhice e percebe que você está colhendo o mal que você fez a você mesmo, um vazio perturbador pode invadir o seu ser e te deixar frustrado, sem perspectiva. Portanto, plante a semente do valor próprio em você, sendo muito respeitoso com quem você é, mas sobretudo com você mesmo! Cuide do jardim secreto que existe dentro de você.


Tagged as , , , , , , , , , , ,



Comentários

Deixe uma resposta

Seu endereço de e-mail não será publicado.Campos obrigatórios estão marcados *




Cart

View cart